Browsing Tag

comunidade

Ativismo Cultura POP Dia a dia Pajubá Pajubá Ilustrado

O Pajubá Ilustrado chegou!

Inhaííí! Esse é o primeiro post do Pajubá Ilustrado!

Esse dicionário ilustrado online vai apresentar verbetes desse dialeto LGBT brasileiro (mas de origem em línguas africanas como o iorubá) tão rico! Como toda língua, o Pajubá também está em constante mudança, por isso vamos explorar desde as palavras mais tradicionais até as mais atuais. Esse é um projeto coletivo. Uma mesma palavra pode ter significado variado de acordo com a região e diferentes regiões podem apresentar diferentes palavras com o mesmo significado. Por isso, também queremos ilustrar gírias LGBTs regionais que podem não pertencer ao Pajubá e pra que isso aconteça precisamos da sua ajuda! Existe alguma gíria LGBT da sua região que você não escuta em nenhum outro lugar? Manda pra gente por mensagem ou por email: tortadeclimaohq@gmail.com
Também precisamos de ajuda de pessoas que entendem de escrita fonética pra dar uma ajuda com verbetes futuros pra que as escritas estejam sempre corretas! Marque aquela sua amiga ou amigo que entende disso nessa mensagem ou se você é essa pessoa e quer ajudar, entre em contato!
Quer sugerir palavras que ainda não foram ilustradas? Deixe nos comentários ou mande por mensagem, de preferência com uma sugestão de descrição!

Precisamos preservar a cultura LGBT brasileira, principalmente em tempos mais espinhosos como os atuais. Somos fortes e sempre, além de resistir, criamos coisas maravilhosas graças à diversidade que nos constitui como comunidade. O Pajubá Ilustrado quer ajudar a manter viva e pulsante, de forma ilustrada, essa parte da comunidade LGBT: a forma como nos comunicamos.

Ajude o projeto compartilhando, convidando azamigue pra curtir a página e nossas outras redes sociais nos links abaixo!
Instagram | Facebook | Twitter

Artigos Ativismo Cultura POP Opinião Preconceito Realidade

Johnny Hooker, Ney Matogrosso e as nuances

O pior problema desse auê Johnny Hooker X Ney Matogrosso não é necessariamente nada do que ambos declararam. É isso virar, assim como quase tudo na internet, um FlaxFlu (ou seria Katy/Tay?) sem fim, onde cada um escolhe um lado e execra o outro, ambos dizendo que a carreira do artista que “falou merda” acabou ou que não tem valor algum, assim como sua respectiva importância no cenário de luta LGBTQ. Ambos tem seus motivos para terem falado o que falaram e mesmo sendo de gerações diferentes, fazem parte de uma luta que pode ter mudado ao longo das décadas, mas que não deveria estar fragmentada.

Ney pode não saber o que um “não sou gay, sou ser humano” pode representar em um momento em que a representação com todas as letras e acrônimos é necessária? Talvez, mas isso não apaga a sua importância na quebra de barreiras de gênero através da suas performances. Podemos não concordar com o que ele falou, mas não exigir que ele exerça um papel de uma forma que ele não quer. Ele vai exercer o que ele quiser e tudo bem! É diferente de se ele tivesse falado que a militância é uma bosta e o ativismo não serve pra nada. No entanto, num momento em que temos LGBTQs de gênero fluido ou agêneros se empoderando para que vivam suas existências não artísticas de forma transgressora, a militância formal é importante, pois legitima suas vivências, sexualidades e expressões de gênero fora dos palcos, das Avenidas Paulistas e dos Leblons.

Johnny Hooker foi reativo e errou a mão ao fazer textão criticando Ney? Ao meu ver, sim, mas não errou rude. Em tempos de empoderamento e novas ondas conservadoras, reagir rápido é necessário. Mas o perigo de ser de uma geração que sofre uma influência da cultura de internet muito grande é justamente ter que expôr uma opinião na mesma velocidade que um apertar de “like” ou “angry”. Corre-se o risco de ser um pouco injusto também. É difícil entender quem “fala merda” quando a gente sente que aquilo nos atinge em cheio, mas militância às vezes é muito mais ouvir do que falar. Às vezes é saber ouvir do outro algo que a gente não concorda. Mas a geração militante infamemente tida como “lacradora/pisamenos” se empodera também na base da reação, pois parte da sociedade tem se mostrado extremamente conservadora, essa talvez também reativa à nova liberdade sexual e empoderamento de minorias sexuais e de gênero com muitos direitos ganhos em lei na última década.

O que não dá pra continuar é esse ame ou odeie internético pois eventualmente ele também se expressa fora do computador, dentro de grupos que deveriam estar especialmente unidos. Uma coisa é ser LGBTQ militante e fazer oposição ferrenha a Bolsomitos, mas gente, não elejamos inimigos públicos número 1 dentro da própria comunidade.

Esse “textão” pode estar muito em cima do muro pra você que tomou partido. Muitas vezes tomar partido é não apenas importante como necessário. Mas em tempos de binarismo de opinião, tentar enxergar nuances no lugar de absolutismos e diversidades ao invés de divergências é crucial quando a discussão está acontecendo dentro da própria comunidade.

 

Kris Barz Mendonça

Twitter | Instagram | Tumblr | Tapastic

Ativismo Realidade

Fui eleito a REVELAÇÃO 2015 no Prêmio Papo Mix!

premio

13263678_1015306778504850_7955927192384391260_n

13230328_1015306958504832_3330427112046558235_n

13230190_1015306735171521_4999984366229189430_n

Quando comecei a postar as tirinhas em setembro de 2014, depois de mais de 1 ano de desenvolvimento dos personagens e rascunhos, não tinha ideia das coisas que viriam nesse 1 ano e meio seguinte. Recebi tantas, mas tantas mensagens de amor e apoio de vocês, leitores e leitoras; publiquei meu primeiro livro autoral, conheci pessoas maravilhosas, senti que fazia parte de algo muito maior do que eu, senti que eu estava realmente ajudando pessoas com coisas simples como tirinhas que as pessoas lêem durante alguns segundos; levei meus quadrinhos em eventos e universidades, dentro e fora do Brasil; e ganhei prêmio da comunidade da qual faço parte e que tanto carece de união, representatividade e suporte. Só posso agradecer vocês, lindezas que votaram em mim para o Prêmio Papo Mix da Diversidade e que acompanham o Torta de Climão, seja desde o começo ou se descobriu há pouco tempo. Obrigado, obrigado, obrigado!

Espaço do leitor Notícias parcerias Realidade

Fui indicado ao Prêmio Papo Mix da Diversidade!

Gente, esse fim de semana eu descobri que fui indicado ao Prêmio Papo Mix da Diversidade, um prêmio que prestigia artistas, personalidades, eventos e talentos da comunidade LGBT no Brasil! Concorro da categoria REVELAÇÃO 2015 pelo meu trabalho com o Torta de Climão! *me imaginem toda posuda falando REVELESSAUM XD

Screen Shot 2016-05-10 at 8.59.15 AM

Posso pedir pra votarem em mim? Nunca pedi nada (mentchira, já pedi)!
É necessário votar em todas as categorias, então se você não conhece os concorrentes, vou sugerir pra votarem: no Nicotina Zero (livro do Alexandre Rabelo que estreou com o meu livro como os primeiros livros da hoo editora) ou em Trilogia do Desejo (do Roberto Muniz Dias, que é um parceiro do Torta de Climão e encomendou uma tirinha especialmente para o seu Projeto Literatura e Diversidade Sexual, que viaja o Brasil inteiro sendo maravilhoso para jovens e adolescentes ensinando sobre a temática LGBT). Ambos na categoria Literatura. Outros concorrentes que eu indico: Mães pela Diversidade, Anatomia do Fauno, Canal das Bee, Liniker e claro, EU!
O mais legal: a premiação vai ser em São Paulo, dia 23 de maio e eu VOU ESTAR LÁ (pra quem quiser ir no evento, é só entrar em contato com os organizadores)!

CONTO COM VOCÊS, QUERIDOS E QUERIDAS LEITORAS! Vote até dia 21 de maio, e por favor, peça aos amigues pra votarem também!

Vote aqui> http://papomix.com.br/vote-ja-no-premio-papomix-da-diversidade-5a-edicao/
Bjs! Kris